Para compartilhar #2

O single de Come as You Are lançado pela Folha gratuitamente

Em 1992, o jornal Folha de S.Paulo presenteou os seus assinantes com um disco de uma banda até então desconhecida. Num domingo daquele ano, os fiéis leitores receberam junto com a edição do diário um vinil de um tal de Nirvana. E, veja bem, não era o Nevermind, disco lançado em setembro do ano anterior, que já estava bombando na gringa. Era “Come As You Are”, segundo single daquele álbum. O presentinho foi feito em vinil. EM VINIL.

Baita reportagem da Vice sobre uma história que nem eu, viciado da porra, sabia sobre a banda.

Neutralidade da rede garantida no Brasil?

De acordo com o NIC.br, o fim da neutralidade da rede nos Estados Unidos não deve gerar consequências ao Brasil. Resta garantir que o Marco Civil se mantenha de pé mesmo com tentativas de flexibilização sendo propostas pelas teles.

Para mais informações, recomendo também o site Direitos na Rede.

Quanto ganha um magistrado?

Um rapaz muito bacana extraiu os contracheques de todos os magistrados disponíveis no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e gerou um arquivo CSV que mostra que algun dos salários chegam a mais de R$ 100 mil.

Hospedei meu site de 1999 no GitHub

Foi em 1998, se não me falha a memória, a primeira vez que eu acessei a internet de um computador da casa dos meus pais. Inspirado pelo site que meu vizinho e amigo na época mantinha do seu clã de Quake, resolvi dar meus passos. Comecei a dividir meu tempo livre entre jogar basquete, ir ao fliperama, ouvir bandas novas e entender a tal da internet.

Como muitos dos moleques nascidos nos anos 80, tive o Nirvana como banda favorita, então fazer um site sobre Cobain e companhia foi a primeira coisa que passou pela minha cabeça. Proveniente de uma estrofe de Drain You, chamar o site de Poison Apple foi uma escolha tanto por estima quanto exclusividade: não havia eu encontrado, na época, nenhuma ~homepage~ com esse nome. Comecei a mexer no FrontPage, instalei o PaintShop Pro e corri pro abraço. O conteúdo se resumia a transcrições de revistas, traduções (a sessão Lista de Músicas, por exemplo, foi retirada do The Internet Nirvana Fan Club e alguns textos próprios. A ilegalidade tentava imperar, mas os servidores do FortuneCity removiam religiosamente as mp3 que eu tentava subir.

Incrivelmente, o site ainda está hospedado no Angelfire. E para garantir que ele não se perca, criei um repositório no GitHub, onde posso guardar essa pequena lembrança sem o medo de exclusões não requisitadas. O site, inclusive, já está rodando lá.

Daquela antiga internet é possível encontrar quase tudo: a splash page, os avisos de resolução ideal, o menu-imagem feito com <map>, os frames e, ironicamente, o copyright. Só senti falta do gif giratório.

Nirvana spinning smiley

Pronto, agora tou feliz.