Há 50 anos

f37_09120159
Estudantes brancos, em Birmingham, Alabama, arrastam um boneco afro-americano pela West School High End, em 12 de setembro de 1963. Duas meninas afro-americanas freqüentavam a escola não segregada e, por isso, a maioria dos estudantes brancos não estava indo às aulas. A polícia parou esse carro em uma caravana segregacionista em frente a escola para alertá-los sobre alta velocidade e uso de buzinas em frente a uma instituição.

Henry Rollins falou, tá falado

I beg young people to travel. If you don’t have a passport, get one. Take a summer, get a backpack and go to Delhi, go to Saigon, go to Bangkok, go to Kenya. Have your mind blown. Eat interesting food. Dig some interesting people. Have an adventure. Be careful. Come back and you’re going to see your country differently, you’re going to see your president differently, no matter who it is.  Music, culture, food, water. Your showers will become shorter. You’re going to get a sense of what globalization looks like. It’s not what Tom Friedman writes about; I’m sorry. You’re going to see that global climate change is very real. And that for some people, their day consists of walking 12 miles for four buckets of water. And so there are lessons that you can’t get out of a book that are waiting for you at the other end of that flight. A lot of people—Americans and Europeans—come back and go, Ohhhhh. And the light bulb goes on.
Henry Rollins

Dá pra ler a entrevista completa no World Hum.

“The Light Bulb Conspiracy”, ou por que você deve parar de consumir coisas como um imbecil

Obsolescência programada: o desejo do consumidor de possuir algo um pouco mais novo, um pouco melhor, um pouco antes do necessário.

Brooks Stevens

Não há muito mais o que falar sobre The Light Bulb Conspiracy, encontrado aqui como Comprar, Trocar, Comprar; a frase acima resume bem o documentário da diretora Cosima Dannoritzer, que fez uma bacana pesquisa sobre como a prática da obsolescência programada vem mudando a sociedade há algumas décadas. Bom pra cacete. Se você é um desses seres que trocam de iPhone a cada novo lançamento, tá mais do que na hora de repensar a vida, meu chapa.