Wave goodbye

Meu primeiro contato com o Soundgarden foi numa locadora de games, bem pertinho da casa dos meus pais, há mais de vinte anos. Dono de um Mega Drive, eu ia até a locadora na esperança de que o novo Road Rash, lançado para o antigo 3DO, já estivesse disponível.

Não demorou muito para o CD aparecer por lá e então ficar maravilhado com a abertura do jogo:

Encontrei Rusty Cage, enfim, na coletânea A-Sides do Soundgarden, um dos primeiros CDs que comprei na vida. O disco me apresentou não só para uma nova banda, mas para uma banda que esteve em constante evolução durante sua existência. Influenciado por uma porrada de gente – Beatles, Zeppelin, Black Sabbath, Stones, Ramones, Budgie – o Soundgarden me ajudou a dar valor para muitas bandas que mereciam ser ouvidas de verdade. Mas foi só depois, com Cornell, que entendi a real amplitude disso.

My favorite Soundgarden record is the last one. We weren’t a band who ended up strangling each other or fighting with lawyers. We had critical success, we had commercial success, we made records I think are timeless, and we were together for a long time. I’m not so greedy that I want more of that.

Chris Cornell

Não foi fácil absorver Euphoria Mourning, seu primeiro disco solo, e torci o nariz quando assisti ao clipe de Can’t Change Me ainda na MTV. Talvez por ainda estar muito travado na adolescência, foi daqueles discos que aprendi a gostar aos poucos, ao mesmo tempo que começava a compreender quão versátil e criativo Cornell fora em sua carreira.

Wave Goodbye, nome que Cornell deu à música que ele fez para Jeff Buckley, é hoje também o nome que uso para homenageá-lo. Montei duas listas, uma em áudio e outra em vídeo, com algumas das canções que me marcaram durante década e meia de reverência. Composições próprias, apresentações ao vivo e covers impecáveis constituem apenas uma pequena fração de como Cornell foi influenciado e segue influenciando tanta gente.

Não o vi ao vivo, nem solo nem com o Soundgarden, e isso me entristece um pouco. Cornell faria 53 anos hoje. Baita cantor, incrível compositor e um dos poucos heróis musicais que tive. Fica o meu agradecimento.