Not dead and not for sale

Na época de Core, o primeiro disco do Stone Temple Pilots, Scott Weiland foi tido como uma versão meia-bomba do Eddie Vedder. A real é que tanto Weiland quanto a banda sempre foram mais versáteis que uns quinze Pearl Jam combinados. As composições fora de série dos irmãos DeLeo ficavam ainda mais maravilhosas sob o comando de um vocalista tão versátil e carismático.

Scott Weiland faria hoje 50 anos. Um dos maiores frontmen que já tive a felicidade de ver ao vivo, e mais um que merece todas as reverências possíveis.