O GitHub e os governos

O GitHub anunciou, hoje, o government.github.com, seu site dedicado aos esforços de órgãos públicos que estão usando a ferramenta para compartilhar pequenos trechos de códigos e aplicativos, publicar dados e leis e, de alguma forma, tentar construir colaborativamente uma nova forma de governar.

Caso você não tenha entendido muito e ainda esteja com dúvidas sobre o GitHub e em como ele poderia se encaixar em um governo, esta apresentação do Clay Shirky pode te dar uma luz:

http://embed.ted.com/talks/lang/pt-br/clay_shirky_how_the_internet_will_one_day_transform_government.html

III Fórum Mundial da Bicicleta em Curitiba

A terceira edição do fórum tem tudo para ser um evento marcante que contribua na construção de cidades mais humanas, com a participação de professores, arquitetos e ativistas internacionais e de todo o Brasil. O conceito para esta edição é “A Cidade em Equilíbrio”, afinal, não é apenas um evento para ciclistas, mas sim, para toda a população. É preciso discutir, pensar e planejar soluções para que bicicletas, pedestres e motoristas possam conviver juntos.

O projeto tá no Catarse procurando por apoiadores.

Usando checkboxes para seleção de termos em taxonomias não hierárquicas

Boa dica pros amigos que precisam que suas taxonomias não hierárquicas (ou seja, as que funcionam como tags e usam um campo de texto para preenchimento) funcionem com uma interface um pouco mais amigável.

Basicamente, o código remove a meta box padrão criada pela taxonomia e adiciona a nova através de uma walker class personalizada, uma modificação da Walker_Category_Checklist. Essa classe é necessária para que seja feita a mudança dos valores dos inputs, pois as taxonomias hierárquicas são referenciadas por IDs, enquanto as que não possuem pais nem filhos usam o próprio slug registrado.

Criei um gist também para facilitar a localização do código.

WordPress readme → GitHub Flavored Markdown

Eis uma ferramenta que converte o arquivo readme.txt padrão do WordPress para o Flavored Markdown do GitHub. Para os afoitos, o código está hospedado para que seja possível o uso imediato.

Aproveitando, há também um plugin para o Sublime Text 2 que faz esse serviço sujo pra você.

Trabalhando de casa #1: uma introdução

Tentando criar o hábito de escrever um pouco a cada dia, nem que isso não se transforme necessariamente em algo público, resolvi compartilhar como tem sido a minha mais nova experiência: trampar de casa.

Se minhas contas não falham, já faz pouco mais de dois meses que estou trabalhando em casa. Sim, home office e tal. Antes disso, dividia com dois camaradas um escritório – que era de um deles – no centro da cidade. O valor era ótimo e a localização idem. Como estava perto de casa, podia voltar e preparar meu almoço e então voltar pra trampar. Além do mais, nesse escritório, na minha primera experiência como freelancer, eu, querendo ou não, era o meu chefe. Podia fazer meus horários, ir quando quisesse, podia sair com meu amigo Felipe à tarde pra assistirmos aos jogos da Champions. No entanto, o mais importante é que eu precisava aprender a me educar com meus afazeres.

A disciplina era necessária para tentar fugir um pouco da convenção burocrática das 8 horas de trabalho e dessa rotina que, de certa forma, também me tirou um pouco do meu antigo emprego. Eu queria aproveitar essa liberdade para ser mais produtivo em menos tempo e, como consequência, poder sair comer um pastel no meio da tarde sem ter que me preocupar com a hora que voltaria. Mas é difícil, meus amigos. É difícil demais não se deixar levar mais uma vez pelo horário comercial, pelo trabalho das 9h às 18h. Não foram raros os dias em que me peguei ficando horas e horas no escritório, remoendo coisas que talvez pudesse fazer em um terço do tempo. Todo mundo procrastina, essa é a verdade. O problema é quando a bronca e a chicotada são dadas por você mesmo; parece mais fácil fingir que nada aconteceu. E quando você se toca, está trabalhando como um assalariado, mas sem os benefícios.

No fim das contas, por uma série de questões, acabamos entregando o escritório. Meu amigo Felipe e eu continuamos trabalhando juntos na maioria dos projetos, mas hoje a dinâmica é outra. Aliás, tudo vai mudando, e essa transição para home office, na verdade, ainda está se desenvolvendo. Primeiro, porque passei parte deste ano em três cidades diferentes, tentando montar em casa um dos lugares uma rotina de trabalho que fugisse um pouco do convencional. Claro, eu me via com liberdade pra sair passear ou pra trabalhar tomando uma cerveja por causa do calor, mas ainda me pegava preso no mesmo esquema começo-de-manhã-e-lá-pelas-seis-eu-largo-tudo. Agora, que estou em casa por mais tempo, já me policio pra tentar mudar isso um pouco e, no caminho, vou tentar escrever aqui sobre como eu tenho me saído.

Por enquanto, eis algumas dicas que segui que podem ajudar você também a ir levemente melhorando a sua rotina:

Acorde cedo

Isso é um pouco subjetivo, na verdade, mas eu sou bem mais produtivo pela manhã. Talvez você também seja, mas não sabe disso. Tente acordar 15 ou 30 minutos antes, e vá aumentando semana após semana, até chegar num horário que você ache adequado (você pode usar algo como o Sleep Timing pra tentar ver o seu ciclo de sono). Nem que a sua ideia não seja trabalhar logo pela manhã, tente usar o tempo pra fazer outras coisas, como planejar as próximas horas, passear com o cachorro, sair pedalar, fazer algumas compras. O período da manhã é bem bacana, vai por mim.

Tome um café da manhã adulto

Muitos amigos meus tomam café no trabalho, já na mesa, provavelmente visitando algum site de notícias ou o Facebook. Em casa, talvez a ideia seja repetir isso, devorando um salgado e passando essas mãozinhas gordurosas no teclado. “Mas eu nunca tomei café”, alguns vão dizer. Pois bem, faça a experiência. Perca 30 minutos preparando algo que você goste. Particularmente, eu gosto de vitaminas e um pãozinho na chapa. Não importa o que seja, apenas sente e coma. Ah, e lave a louça logo depois.

Ponha uma roupa de trabalho (ou algo próximo disso)

Pode ser até uma roupa que você use pra ficar em casa, mas evite ficar de pijama pra trabalhar. Acorde, tome um banho, ponha outra roupa, tome seu café e parta pra alguma tarefa. Importante: está permitido ficar de pijama quando o tempo estiver chuvoso e você não tenha trabalhado com ele nas últimas duas ou três semanas.

Encontre um lugar bacana pra trabalhar

Se você tem espaço suficiente em casa pra evitar que seu computador fique no seu quarto, não hesite. Criar um espaço que seja exclusivo para trabalho pode ajudar. Se não houver essa possibilidade e sua única opção é aquela mesa que está bem próxima da sua cama, faça dela seu escritório. Remova todas as porcarias não importantes dela, abra as janelas do seu quarto, encha um copo com água e outro com café e faça o que precisa ser feito.

Talvez seja difícil fazer tudo de uma vez, mas aos poucos você vai ver que esses pequenos hábitos podem melhorar bastante a forma como você trabalha. Pode confiar.